17/06/2016 - Desenvolvimento Sustentável

Emater e ONGTNC reúnem para ampliar discussão sobre desenvolvimento sustentável

Técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará) e da Organização Não Governamental The Nature Conservancy (TNC) participaram nesta quinta-feira (16) na sala da Diretoria Técnica da empresa, no Escritório Central, em Marituba, de uma reunião com propósito de discutir o aperfeiçoamento técnico de ações visando à adequação ambiental que possibilite o desenvolvimento com enfoque na produção sustentável no âmbito do Termo de Cooperação Técnica que vem sendo executado entre as instituições.

De acordo com Rodrigo Mauro Freire, coordenador de Florestas e Clima da TNC, responsável pela execução do projeto da ONG desenvolvido em São Félix do Xingu e municípios do entorno “O cacau é o foco”. “Pois é a base para os saf’s; é uma cultura com boa rentabilidade e que permite a implantação de uma lógica que substitui um sistema degradado por áreas que se assemelham à floresta”. Ele relatou que a experiência tem tido bons resultados, principalmente com os cultivos de ciclo curto, mas que também tem apresentado alguns gargalos, como a disponibilidade de assistência técnica ‘in loco’, “para dar respostas às demandas dos produtores”. Atualmente o projeto atinge 82 famílias, 12 das quais são produtores de leite, visando criar uma “agenda casada” na cadeia do achocolatado.

Teresa Cristina Moreira coordenadora de Florestas e Clima da TNC, responsável pela execução do projeto da ONG no oeste paraense manifestou interesse em conhecer mais sobre a dinâmica da agricultura familiar na região de Santarém, “com vistas à implantação de modelos experimentais de implantação de Unidades Produtivas Participativas (UDPs) que vêm sendo implantadas no sudeste do estado”, no sentido de estabelecer mais polos restauradores de florestas no estado.

O coordenador técnico da Emater, Paulo Augusto Lobato, relatou algumas experiências da Emater feitas individualmente e em parcerias, como a experiência com o IdeflorBio, que poderiam ser pensadas para adequações às especificidades do projeto. Disse que a empresa já participa de algumas etapas de execução do projeto, que poderão ser aprimoradas como complementação no processo de adequação ambiental de reserva rural, na lógica da cacauicultura, e com aperfeiçoamento do acompanhamento de impacto dos aspectos produtivos sustentáveis, entre outras etapas. Os representantes concordaram que a validação das metodologias específicas desenvolvidas é importante para a estruturação e construção de políticas públicas para os agricultores familiares.

Texto e Foto: Edna Moura