05/10/2017 - Círio Emateriano 2017

Primeiro bispo nativo da Amazônia conduziu os servidores da Emater no Círio Emateriano 2017

O espírito de solidariedade reinou entre centenas de servidores da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater-Pará), que participaram da realização do Círio Emateriano 2017. Foi o 14º Círio Emateriano, que começou com procissão saindo do galpão até o auditório Alberto Bentes Guerreiro, no Escritório Central.O condutor da procissão e celebrante da missa foi o recém-nomeado, pelo Papa Francisco, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, conhecido como padre Bira, primeiro bispo nativo da Amazônia, acompanhado pelo padre Everaldo, da Paróquia do Menino Deus, auxiliado por dois diáconos, que são servidores da Emater.

Dom Antônio de Assis, o bispo auxiliar, instigando os participantes, perguntou primeiro, “o que tem a ver Maria, mãe de Jesus, com a Empresa Emater?”. Ele então resumiu várias correspondências, tendo Maria como modelo. Destacou que ambas têm vivências no campo, vocação de dar apoio a quem produz, cuidam do desenvolvimento humano, e agem a serviço do bem comum, garantindo, portanto, o coro de todos: “Maria, seja bem-vinda á Emater”. Depois levou os presentes à reflexão sobre o valor da palavra de Deus em todos os ambientes, e sobre a convocação a todos para fazer um mundo melhor, a partir das suas próprias atitudes.

Na procissão do Círio Emateriano 2017 estavam presentes alguns elementos que compõem o grande Círio de Nazaré, em Belém: a berlinda, a corda, os anjinhos. Aliás, sobre eles, há 5 anos dezenas de anjinhos, alunos da Escola Nossa Senhora do Rosário, acompanhados por professores da escola participam do Círio Emateriano. O manto deste ano foi doação da funcionária Suyane Santos, da assessoria jurídica. Fizeram parte do cortejo, membros da Diretoria Executiva (Direx), centenas de servidores, alguns acompanhados por familiares, num real espírito de congraçamento em torno da festa nazarena.

Entre as belas homenagens recebidas no cortejo, o canto do jovem cantor, Lucas Lima, estudante de 16 anos que cantou “eu sou de lá”, do padre Fábio de Melo, e a recitação do texto-poema, de autoria do servidor João Pamplona.
O evento foi a culminância de uma vasta programação, que iniciou com a visita da Imagem Peregrina, prosseguiu com as peregrinações, e se encerra hoje com a Acolhida aos Romeiros, cujo ponto de acolhida será instalado no portão de entrada da Empresa.

Texto e Fotos: Edna Moura