13/03/2018 - Homenageados no Congresso

Emater presente no Congresso da Mandioca com técnicos e agricultores assistidos homenageados

Na solenidade que marcou o início oficial do XVII Congresso Brasileiro de Mandioca e II Congresso Latino Americano e Caribenho da Mandioca, na noite de ontem (12), no Hangar (Centro de Convenções e Feiras da Amazônia), em Belém, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará), integrou a mesa de abertura, por seu presidente, Paulo Amazonas Pedroso, uma das mais de 40 personalidades contempladas com reconhecimento por serviços prestados em prol da agricultura no estado. O diretor técnico, Rosival Possidônio, foi homenageado por dedicada atuação à cultura da mandioca. O indígena Gregório Waro Mundurucu, assistido pela Emater em Jacareacanga, foi agraciado como representante indígena, pelo legado à cultura da mandioca, e o agricultor familiar, José Davi Pereira Junior, assistido pela Emater em Bragança, foi contemplado como representante dos agricultores familiares.

O evento, promovido pela Sociedade Brasileira de Mandioca, e realizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), com apoio de vários órgãos e entidades, no qual a Emater participa na mobilização direta de caravanas de mais de 80 agricultores familiares, viabilização de participação de 40 extensionistas rurais, de todas as regiões administrativas do estado, além de apoio operacional em mostras de variedades de produtos, exposição de equipamentos utilizados na cadeia produtiva, e moderação de trabalhos técnicos, entre outras atividades; se constitui no principal fórum de integração dos agentes da cadeia produtiva da mandioca.

Nas manifestações feitas pelas autoridades foi ressaltado o papel da agricultura familiar para superação de crises, por meio das atividades desenvolvidas no campo.  Na ocasião, o programa de governo que envolve vários órgãos, entre os quais, a Emater, com meta de alavancar a produtividade paraense em pelo menos 33%. O programa foi elaborado em conjunto entre poder público, instituições de fomento e de pesquisa e produtores, com objetivo de garantir ao produtor o incremento da produtividade, e permitir mais renda, além de melhorar a qualidade de vida do produtor.

O governador em exercício, Zequinha Marinho, disse na ocasião: “Temos a convicção que este evento irá marcar a história da produção da mandioca no estado, definindo uma nova história, com novos conhecimentos, novos estímulos e novos investimentos. Temos terra boa, clima favorável e gente trabalhadora, que poderão produzir de forma efetiva e modificar os índices sociais atuais no estado”.

Um dos espaços mais visitados é o Museu da Mandioca, apresentando equipamentos como uma miniatura da prensa Sucuri, projeto criado pelo técnico em agropecuária da Emater, Raimundo Delival Batista, de Jacareacanga, em conjunto com o técnico José Augusto da Silva Martins, da Protama. O equipamento reduz o tempo e barateia os custos de produção da farinha, facilitando as ações do homem produtor. Outros espaços mostram exposições variadas de produtos que aguçam o paladar dos visitantes.

Texto e fotos: Edna Moura