04/04/2012 - Regional São Miguel do Guamá

Produção de laranja paraense desperta interesse de indústria alemã

Empresários de indústrias de sucos biodinâmicos da Alemanha demonstraram interesse em comprar produção de laranja de Capitão Poço, nordeste do estado.  A negociação para a comercialização está acontecendo com a intervenção da Empresa de Assistência e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).  A expectativa é que a comercialização aconteça já para a próxima safra.  

Capitão Poço, que responde pela maior produção de laranja do Norte do Brasil, tipo pêra, de mesa, tem uma área plantada de 12 mil hectares, com pelo menos mil agricultores dedicados a cultura, já exporta a produção do cítrico para indústrias de sucos de São Paulo e outros estados do País.  Referencia em produção de laranja orgânica no Pará, o município recomeçou o processo de certificação anual dos produtores, 70% deles, agricultores familiares.

A lavoura de laranja que está em constate expansão em Capitão Poço, registrando crescimento entre 5% a 10% anualmente, deve atingir este ano a produção de 180 mil toneladas do fruto.  Apesar da concentração de safra se dar somente entre setembro a dezembro, a colheita da laranja acontece ainda entre março e abril, chamado de colheita temporã. A produção nesse período deve atingir 60 mil toneladas. Produção 30% maior que no mesmo período do ano passado.  

Segundo Jerry Dennys Siqueira, engenheiro agrônomo da Emater, alguns  fatores contribuem para o sucesso da produção do cítrico em Capitão Poço, o trato no laranjal aliado a práticas de manejo que estimulam a produção, mas especialmente pelo fator climático . “A região se caracteriza pelo amplo período de brilho solar, o que permite a planta está em processo de metabolismo constante”, explicou.

Responsável pela assistência técnica no município, a Emater acompanha os agricultores desde o plantio no campo, o controle de pragas e doenças até a comercialização. Alguns agricultores já comercializam a safra com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Hoje a tonelada de laranja está sendo comercializada a 350 reais.

Texto: Iolanda Lopes