28/11/2011 - .

Emater promove capacitação em arranjos florais

 

A partir desta terça-feira (29) até a próxima sexta-feira (02), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) promove capacitação para a produção de arranjos florais. Participarão 25 pessoas, sendo 08 técnicos e 17 agricultores familiares, que exercerão o papel de multiplicadores. A oficina será ministrada pela especialista em designer floral, a paulista, Wilma Bellotto, com mais de 20 anos de experiência, formada pela Escola Ibero-americana de Arte Floral da Espanha e pela italiana Ontoflos, além de cursos de aperfeiçoamento nos Estados Unidos e na Holanda.

 

Segundo o engenheiro florestal da Emater, Sinval Paiva, coordenador do treinamento, proposto pela presidente da Emater, Cleide Amorim, o objetivo geral é fomentar a produção familiar na floricultura e oferecer noções básicas de beneficiamento, para agregar valor ao produto. “É trabalho da empresa otimizar a produção familiar com proposta de oferecer geração  e complementação de renda. Assim, voltaremos as futuras capacitações para o público feminino”, disse.

 

Para Wilma Bellotto, designer floral, é comum ministrar este curso para um público heterogêneo. Ela afirma que qualquer pessoa pode trabalhar com as flores, sem precisar de uma formação tradicional, bastando apenas ter a criatividade aguçada. “O talento está escondido precisamos apenas estimular que aflora, literalmente”, comentou.

O conteúdo programático prevê a prática deste o primeiro dia de instrução. Mas ainda para a designer floral, com o produtor familiar já tem proximidade com o produto in natura será um diferencial. “Quando o agricultor conhecer como o produto pode ser beneficiado, ele vai começar até a plantar diferente. Ter técnicos como alunos, também será positivo, pois o público atendido será estimulado a produzir, já que falta mão-de-obra qualificada no mercado”, revelou.

 

Mas a professora avisa que vai pegar no pé dos alunos no quesito acabamento. Bellotto afirma que o mercado é cada vez mais exigente. “Flor é sonho, imaginário. O designer floral é uma arte, uma boa embalagem faz a diferença. Vou mostrar que é possível fazer um trabalho belíssimo com produtos comuns, agregando valor ao artesanal e com custo baixo. Temos a proposta de utilizar recursos como sementes, palhas. Só precisamos de criatividade”, reforçou.

 

Outro ponto que Wilma Bellotto ressalta é a oportunidade de trabalhar com plantas e flores tropicais, abundantes no norte do país. No último Frutal Amazônia Flor Pará, sua oitava participação no evento, foi possível fazer até bouquet de noiva com produto típico da região. “Agora, nesta época de Natal, é mais uma oportunidade propícia para intensificar o abastecimento do mercado”.