29/05/2015 - Escritório Central

Emater e BID estudam parceria em prol de agricultura sustentável

A viabilização de uma parceria entre a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para fortalecer a agricultura familiar paraense foi tema de reunião entre representantes das duas instituições na tarde de quinta-feira, 29, no escritório central do órgão estadual, em Marituba, Região Metropolitana de Belém.

Pelo BID, Kátia Carvalheiro e Thiago de Araujo Mendes, apresentaram à Emater o Projeto Rural Sustentável, que tem como principal objetivo facilitar o acesso de pequenos e médios produtores ao crédito rural, destinados a investimentos em tecnologias de baixa emissão de carbono e conservadoras do meio ambiente. Neste contexto uma das ações previstas é a capacitação de técnicos e produtores sobre tecnologias de Agricultura de Baixo Carbono (ABC). “A proposta é estabelecer uma agenda de ações conjuntas junto a agricultores de 10 municípios paraenses. Pará será o pioneiro nesse processo”, disse Mendes.

De acordo com o BID, o projeto está em andamento em seis estados, além do Pará: Mato Grosso, Rondônia, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais e Bahia. A expectativa é de beneficiar um público de 10 mil pessoas entre técnicos de ATER e produtores rurais em um prazo de dois anos e habilitar aproximadamente 3.500 propostas técnicas para acessar crédito rural para a agricultura de baixo carbono, de forma a promover a produção sustentável.

Participaram da reunião pela Emater, o diretor técnico Rosival Possidônio, o coordenador técnico Paulo Lobato, o chefe de gabinete da presidência Paulo Gaia, o coordenador de operações Alexandre Galvão e o assessor técnico da diretoria, Raimundo Ribeiro.  O próximo passo será a assinatura de um termo de anuência para formalizar a parceria.

“Temos muito à agregar nas ações que a Emater já desenvolve a partir dessa parceria com o BID, principalmente com as capacitações e custeio do acompanhamento técnico dos agricultores”, enfatizou o coordenador técnico, Paulo Lobato.