Rural Sustentável

Emater e parceiros do comitê estadual avaliam atividades do Rural Sustentável

Com a participação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará), por meio dos técnicos Raimundo e Onilse Ribeiro, o Comitê Técnico Estadual (CTE), do Projeto Rural Sustentável (PRS), responsável pelo Bioma Amazônia, reuniu ontem (5), na Superintendência Federal de Agricultura (SFA-PA), para fazer um balanço das atividades trimestrais realizadas no bioma.

A reunião teve a presença dos membros representantes da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); junto com Roberta Roxilene dos Santos, representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS).

Dentre as atividades avaliadas, oficinas, propostas para editais referentes às unidades multiplicadoras e demonstrativas, e dias de campo.

Na pauta dos dias de campo, inclusive, o cronograma dos que estão acontecendo desde o início de dezembro até o dia 15, em Rondon do Pará, Tailândia, Tomé-Açu, Paragominas, Tucumã, Santana do Araguaia, Marabá e Medicilândia. Eles são direcionados, principalmente, a produtores rurais e agentes de assistência técnica, em municípios em cujas unidades demonstrativas, as áreas com tecnologias de baixo carbono estão implantadas com êxito, e que servem de referência para outros produtores rurais que queiram adotar as técnicas sustentáveis.

Os temas dos dias de campo são relacionados às tecnologias apoiadas pelo Projeto: Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, incluindo Sistema Agroflorestal (SAF); Recuperação de Área Degrada (RAD); Plantio de florestas comerciais; e Manejo Sustentável de Florestas Nativas.

O projeto quer melhorar as práticas de uso da terra e manejo florestal por pequenos e médios produtores rurais, já capacitou neste ano, mais de mil produtores em técnicas de produção que melhoram a produtividade e conservação ambiental das propriedades, além de ampliar a renda familiar.

O PRS é financiado pelo Ministério da Agricultura, da Alimentação, da Pesca e dos Assuntos Rurais do Governo Britânico (DEFRA), tendo como beneficiário o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e executor e gestor financeiro o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).No Pará, e em mais sete estados brasileiros,o projeto é implementado pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS).


Fotos: Acervo Emater

Texto: Edna Moura - 06/12/2017