Curso em Chaves

Emater organiza curso em manejo de açaizais de várzea para extrativistas de Chaves

Quarenta e um extrativistas, entre homens, mulheres e jovens, participaram do curso de manejo de açaizais de várzea, em Chaves, no Marajó, capacitação realizada na segunda quinzena do último mês de 2017, no Igarapé Cajueiro, Rio Arapixi. A capacitação foi organizada pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará), por meio do chefe local, engenheiro agrônomo, Orlando Sauma Lameira, que articulou junto ao pesquisador Silas Mochiutti, da Embrapa, no Amapá, e com a Prefeitura Municipal, a execução do curso para aprimorar os conhecimentos dos agricultores familiares da comunidade.

Lameira disse que a comunidade passou a ser atendida pela Emater em 2017 e em reunião com os comunitários no mês de novembro foi levantada a demanda pelo curso “a fim de aprimorar ainda mais os conhecimentos dos agricultores familiares da localidade”. E explicou que a Emater fará o acompanhamento dos resultados obtidos, “a partir da aplicação da aprendizagem obtida no curso, e da implantação de uma Unidade de Aprendizagem de Manejo de Açaizais na própria comunidade”. E que, “em 2018 a capacitação terá continuidade, com participação dos mesmos extrativistas, para avaliar melhor os resultados obtidos na Unidade de Aprendizagem, e também fazer os ajustes necessários”.

Ele informou que aos participantes do curso foi disponibilizado pelo Projeto Bem Diverso, um kit de capacitação para o escritório local (esloc) da Emater em Chaves, constituído de 36 pares de botas, 36 capacetes, 16 terçados, 4 machados, 4 cavadeiras retas e 2 trenas de 50 metros. Disse ainda que o esloc garantirá aos participantes o acesso ao crédito rural em 2018, “onde retornaremos à comunidade, para emitir DAP, elaborar projetos nas linhas Pronaf B e Pronaf Floresta, junto ao Banco da Amazônia, agência de Macapá, e enquadrar as famílias no acesso aos financiamentos que poderão ser de 15 mil reais, em média, totalizando recursos de mais de 500 mil”.

A programação do curso abordou no primeiro dia, na parte teórica, tópicos como as florestas de várzeas e o açaizeiro, o novo código florestal e o manejo de açaizais, diversidade e estrutura das florestas de várzea, princípios e requisitos para o manejo da floresta de várzea, licenciamento ambiental, manejo sustentável de açaizal de várzea, e a importância da saúde e segurança dos agricultores no manejo de açaizais. No segundo dia, os participantes viram na prática, os pontos de demarcação de blocos, limpeza do açaizal, inventário florestal, análise de dados e planejamento de intervenções, intervenções de manejo, manutenção do açaizal manejado, resultados do manejo, e práticas de resgate na floresta.

Fotos: Acervo Emater 

Texto: Edna Moura - 04/01/2018