Regional do Marajó

Emater fará atendimento especial de agricultores de Breves em navio da Marinha

Desta sexta-feira (9) até segunda-feira (12), um navio da Marinha do Brasil aportado no Terminal Hidroviário de Breves, no centro do município, receberá agricultores para atendimento especial por parte do escritório regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) do Marajó, dentro da operação de parceria multiinstitucional Educação na Hidrovia I.

A equipe interdisciplinar da Emater – economista, engenheiro agrônomo, engenheiro ambiental, sociólogo e técnico em agropecuária -  ficará a postos na embarcação Auxiliar Pará, de 8h às 12h e de 14h às 17h, com um balcão de informações acerca de cadastro ambiental rural (car), declaração de aptição ao Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar – Pronaf (dap), crédito rural e agricultura sustentável.

Os especialistas também ministrarão palestras sobre horta em pequenos espaços (sacadas, quintais, pátios etc.), manejo de ecossistema de várzea com enfoque no açaí, experiências exitosas na região e cadeia produtiva da mandioca.

No mesmo espaço, uma família atendida pela Emater há mais de 10 anos, Família Rodrigues, proprietária do Sítio Seu Colega, localizado na Vicinal 3 da Rodovia PA – 159, projeto considerado referência de desenvolvimento sustentável e de diversificação de atividades, exporá e venderá produtos como licor (gengibre, jambu, buriti, abacaxi, entre outros), molho de pimenta e farinha d’água e de tapioca.

A expectativa é de que, nos 4 dias de Operação, sejam atendidos pelo menos 500 agricultores.

Para o supervisor regional da Emater no Marajó, sociólogo Alcir Borges, a oportunidade é de alcançar as mais localidades mais longínquas que vêm sendo mobilizadas pela campanha e acabam não recebendo atendimento regular, por conta da própria distância geográfica e de outros fatores desafiadores: “São extrativistas de açaí e de castanha, pescadores artesanais, que certamente serão muito beneficiados com as informações acerca do trabalho da Emater e das tecnologias, por exemplo, de manejo de açaizal e de crédito rural, além de políticas públicas para o setor”, resume.  

Texto: Aline Miranda - 08/11/2018