Regional de Capanema

Público de Arraial Junino de Augusto Corrêa conhecerá tecnologia da Emater que barateia e facilita criação de peixe

 

Desta quinta-feira (27) até domingo (30), o público do Arraial Urumajó, promovido pela Prefeitura de Augusto Corrêa, na Região do Rio Caeté, poderá conhecer de perto e ao vivo a experiência de construção de um tanque de superfície sustentável, a partir de material agroecológico ou tradicionalmente descartado, para criação de tambaqui - um projeto do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) para qualificar e expandir as atividades da agricultura familiar com vistas à segurança alimentar e nutricional.

O evento será realizado no Campo Santa Cruz, entrada da cidade, de 18h até o último visitante. A entrada  é livre e gratuita.


Com inspiração na tecnologia Sisteminha, desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a equipe da Emater fará a demonstração de um tanque circular, com diâmetro de cinco metros e altura de um metro, no qual cabem 20 mil litros de água e 100 alevinos. A base inclui lona, baldes, garrafas pet, estacas de madeira e o inusitado de uma bomba de máquina-de-lavar, em substituição à bomba comercial, muito mais cara.


O piscicultor Benilton Cardoso, da Fazenda Cardoso, atendido pela Emater, participará da demonstração.


"Estamos provando que, na perspectiva da piscicultura, é possível a qualquer pessoa – seja da zona rural, periurbana ou mesmo urbana – produzir seu próprio alimento, sem a demanda de grandes áreas ou grandes investimentos. Um tanque desses qualquer um pode fazer em um único dia, aproveitando resíduos das propriedades ou reciclando plástico, madeira, bambu do lixo", anuncia o técnico em piscicultura da Emater Leonardo Miranda, que também é engenheiro de pesca.


Na implantação de um tanque nesse formato, o ciclo de despesca é calculado para oito ou dez meses, com peixes com no mínimo 500g. A água circulante, rica em nutrientes, é reutilizada na irrigação de hortaliças orgânicas.

 


O objetivo é incentivar a melhoria da alimentação dentro de casa, combatendo deficiências nutricionais, e ainda comercializar o excedente, gerando renda. O principal foco são famílias sob vulnerabilidade social.

Texto: Aline Miranda - 28/06/2019