Regionais das Ilhas e Marajo

 Emater atenderá mais de 300 mil pessoas pelo Pro Paz no Marajó

De 25 de fevereiro a 12 de maio, em mais uma edição Pro Paz Cidadania Presença Viva, mutirão governamental de prestação de serviços, desta vez a bordo de um grande barco multiinstitucional que percorrerá o Arquipélago do Marajó, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) promoverá ações de educação ambiental e de orientação técnica no cultivo de hortas agroecológicas e aproveitamento de alimentos.

 Pelos menos 10 outros órgãos estão envolvidos, como a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e a Defensoria Pública, com mais de 100 servidores trabalhando no total. 

         Estão previstos 360 mil atendimentos em 17 municípios: Ponta de Pedras, Muaná, São Sebastião da Boa Vista, Curralinho, Oeiras do Pará, Bagre, Breves, Melgaço, Portel, Anajás, Gurupá, Afuá, Chaves, Soure, Salvaterra, Cachoeira do Arari e Santa Cruz do Arari.

Com a supervisão dos escritórios regionais Das Ilhas e do Marajó da Emater, os escritórios locais já estão mobilizando as comunidades para participar das palestras e exibição de vídeos didáticos sobre instalação e manutenção de espaços com o plantio de hortaliças, que, sem carecer de alta tecnologia ou trabalho exaustivo, podem compor salutarmente as refeições das próprias famílias e ainda gerar renda extra, sendo comercializadas.  

A Emater também oferecerá às comunidades a degustação de quitutes resultantes de algumas técnicas de aproveitamento de alimentos regionais (principalmente peixes, frutas e mandioca), como brigadeiro de açaí, demonstrando modos de a riqueza cultural do Marajó gerar uma gastronomia supernutritiva, acessível e barata.

De acordo com dados da Emater, mais de 80% das populações desses municípios são considerados “agricultores familiares”. As famílias vivem da pesca artesanal, do extrativismo de açaí e de cultivos de subsistência. O principal desafio do apoio do governo do estado em relação às comunidades em questão é o acesso. A muitas delas só se chega por rio. Em algumas, nos períodos de seca fluvial, mesmo por barco é difícil aportar.

“Existe um isolamento geográfico natural na região. No cotidiano do extensionismo, às vezes nossos profissionais chegam a viajar até mais de 10 horas para visitar a comunidade”, diz a supervisora regional da Emater Das Ilhas, a engenheira agrônoma Maria Josefa Nascimento.  

O primeiro município beneficiado será Ponta de Pedras, de 25 a 27 de fevereiro.  Além das iniciativas da Emater, serão oferecidos serviços de assistência médica e odontológica, assistência jurídica, emissão de documentos, entre outros. O atendimento, sempre das 8h às 17h, será totalmente gratuito, sem necessidade de pré-cadastramento.

Texto: Aline Miranda - 16/02/2012