Segurança Alimentar

Cerca de 100 agricultores de Concórdia do Pará, no sudeste do estado, estão sendo esperados na II Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, que acontecerá nesta quinta-feira (4), no salão da Paróquia de São Pedro, no centro. O evento é promovido pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em parceria com a prefeitura, sindicato de trabalhadores e sindicato de produtores, entre outras instituições.

A programação inclui debates e construção coletiva de propostas. Às 10h, o engenheiro florestal da Emater Márcio Nagaishi, do Núcleo de Metodologia e Comunicação (NMC), conduzirá o painel “Produção Familiar na Perspectiva da Agroecologia como Estratégia de Segurança Alimentar”, em que abordará a importância do cultivo agroecológico, não só em termos de desenvolvimento sustentável, como de possibilidade de enriquecimento nutricional das refeições das próprias famílias agricultoras.

“Plantar, criar, desenvolver agroecologicamente é vantajoso tanto para a sociedade, que tem a oportunidade de praticar o universo da alimentação saudável e desfruta a repercussão ambiental positiva nos ecossistemas, quanto para as famílias produtoras, que podem se alimentar de modo mais qualitativo, com consciência nutricional, e contribuir para a preservação ecológixa”, explica. Segundo ele, “o dia-a-a-dia no interior” faz um tempo era sinônimo de “qualidade de vida, com ar puro, sem estresse e com comida saudável”.

Ele também alerta para o fato de que a sedução da monocultura superlucrativa, como a do dendê, pode diminuir as áreas plantadas com alimentos e consequentemente a oferta de produtos, provocando alta nos preços. “Por isso também que a Emater sempre defende a diversificação das atividades, com resguardo de uma área para cultivo de alimentos, até para abastecer os lares dos agricultores”, contextualiza.

A partir da apresentação do painel, a Emater coordenará um grupo de trabalho, para elaborar um documento acerca do tema. O documento será encaminhado para a organização da Conferência Estadual, programada para setembro, e poderá compor a pauta da Conferência Nacional, que deverá ser realizada em Salvador, na Bahia, em novembro.

De acordo com a socióloga da Emater Marli Margareth Chermont, em Concórdia ainda existem sérios problemas na mentalidade de consumo das famílias agricultoras, sobretudo por conta das “facilidades”: “Por exemplo, um criador de galinha caipira pode vender o animal por cerca de R$ 20 reais e, com metade desse dinheiro, comprar um frango inteiro industrializado”, lamenta ela.

Projetos da Emater, completa, não só apóiam a conscientização ambiental e nutricional das famílias, como também despertam-nas para mercados governamentais específicos, como o da merenda escolar. “Aqui no município, algumas associações de produtores já estão fornecendo alimentos, como mel e polpa de frutas, para estudantes da rede pública”, festeja.

Texto: Assessoria de Comunicação - 05/08/2011