Agricultores aumentam produção

A economia do município de São Geraldo do Araguaia, sudeste paraense, está passando por transformação. Está surgindo uma expressiva e significante produção de grãos, realizada pela agricultura familiar que vem fortalecendo e diversificando a economia local. Antes a produção rural baseava-se na pecuária de corte e leite.

 
Produtores rurais locais tem tido motivos de sobra para comemorar esta nova fase produtiva. Para o agricultor familiar Silvio Maranhense, aos 48 anos, só agora pode voltar a produzir grãos na propriedade dele. Ele conta que desde a primeira colheita pode perceber a melhora da vida familiar ao ver sua renda aumentar. “Era um sonho voltar a produzir grãos”, afirmou.
 
O produtor Silvio Maranhense declara que através do trabalho desenvolvido pela Emater no município. Neste ano de 2011, a produção chegou a 300 sacas de milho, 119 sacas de arroz. Além da produção e colheita o trabalho desenvolvido possibilitou que o agricultor fazer a silagem. “Este estoque servirá para a alimentação alternativa do meu rebanho durante o período de seca na minha propriedade. Aqui há fartura para todos e eu estou muito feliz”.
 
Cumprindo seu papel fundamental a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) - através do seu escritório local no município - está fazendo esse cenário agrícola mudar. Segundo o coordenador da Emater em São Geraldo do Araguaia, Edilson Carvalho, a empresa procura incentivar os pequenos agricultores a produzirem grãos de qualidade desde 2007, através do Projeto Terra Viva. Mas esclarece que “esta é uma atividade viável apenas com o uso de tecnologias, como: análise, correção e adubação do solo e também o uso de sementes de qualidade”.
 
Além da assistência técnica da Emater outro parceiro muito importante neste progresso foi o apoio prestado pelo agente financeiro Banco do Brasil. Tratores foram financiados para os pequenos agricultores familiares, facilitando o trabalho no campo e permitindo aos trabalhadores realizarem os seus sonhos através da produção com ajuda tecnológica. “E com este trator que eu e minha família trabalhamos na terra e retiramos dela nosso sustento, sem gastos com mão-de-obra”.
 
 
<span style="\"display:" none;="" \"=""> 
Texto: Assessoria de Comunicação - 22/07/2011