-

Emater elabora plano participativo para o nordeste paraense

Nos dias 09 e 10 de novembro, no município de Rondon do Pará, acontece o Encontro para Elaboração do Planejamento Participativo, uma ação prevista no projeto da Chamada Pública de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) para a Cidadania do Nordeste Paraense, lote 2, de responsabilidade da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).

No plano a ser desenvolvido – de forma conjunta aos beneficiários –, o lote dois compreende os municípios de Abel Figueiredo, Dom Eliseu, Rondon do Pará e Ulianópolis. Cerca de 80 agricultores familiares, nesta oportunidade, poderão garantir a participação, a avaliação e a análise da atividade da fruticultura.

Segundo o técnico da Emater, Henrique Pimentel, da gerencia desta Chamada Pública aberta pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), a meta de atendimento, que visa o fortalecimento da fruticultura na região, são de 800 famílias agricultoras. “Para o cumprimento da primeira meta da segunda fase do contrato fica determinado que 10% das famílias cadastradas sejam ouvidas e participem da elaboração deste planejamento que será executado em dois anos deste projeto”, disse.

A elaboração do Planejamento Participativo se faz necessária para que o público beneficiário possa imprimir a realidade da comunidade, no intuito de gerar direcionamentos apropriados para as atividades de ATER nos municípios assistidos pela Chamada Pública do nordeste paraense. “Esta é uma das ferramentas de referência base de intervenção, construção de direcionamentos futuros, que considera uma perspectiva democrática e o enfoque emancipador”, disse o técnico da empresa.

No primeiro, dos dois dias programados para o encontro, que acontecerá na Universidade Federal do Pará, campus Rondon, está prevista a socialização dos resultados sistematizados do diagnóstico das unidades produtivas familiares, além de relatos de experiências sobre a gestão da propriedade, manejo dos recursos naturais e a produção e comercialização na fruticultura.

Já no segundo dia, os participantes serão divididos em grupos de trabalho, que deverão sistematizar as contribuições, fatores determinantes para a produção agrícola familiar da região. “Após este momento, ainda no dia 10, acontecerá a formalização do Planejamento Participativo das ações prioritárias. Temos que sair deste encontro com o nosso destino traçado para os próximos dois anos”, afirmou Pimentel.

Texto: Kenny Teixeira - 01/11/2011