-

Emater incentiva horticultura orgânica no Marajó

De segunda passada (31) até esta sexta-feira (4), trinta agricultores de dez comunidades situadas ao longo de 30 km da rodovia PA – 159, que liga Breves a Anajás, ambos no Arquipélago do Marajó, estão sendo capacitados pelo escritório regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) para a instalação e manutenção de hortas orgânicas na região periurbana dos municípios.

 A iniciativa faz parte do programa Cinturão Verde, pelo qual a Emater, em parceria com a prefeitura de Breves, visa não só a estimular a produção de hortaliças para abastecimento do mercado local, mas também a promover alternativas de trabalho e renda para agricultores familiares e a valorizar ambientalmente as propriedades da área, com plantio sem agrotóxicos.

De acordo com o sociólogo da Emater Alcir Borges, Breves chega a importar hortaliças da região metropolitana de Belém. “Como o consumo, assim, se torna caro, com maços de cheiro-verde, por exemplo, sendo vendido nas feiras por cerca de R$ 1, 50, ter a própria horta também vai garantir às famílias complemento alimentar”, diz.

Os 30 agricultores em treinamento são membros da Associação dos Produtores Rurais da Colônia Tancredo Neves (Aprocotane).  A maioria vive do extrativismo de açaí e do cultivo de mandioca. Alguns, ribeirinhos, também pescam artesanalmente.

Assim que concluído o curso, cada família receberá um kit com equipamentos (regadores, bandeja de sementeiras e escarificador, entre outros) para a implantação de um canteiro com espécies como cheiro-verde, alface, cebolinha, couve, chuchu, quiabo e feijão de corda.  

Os kits serão emprestados pela Emater às famílias por três meses. No fim desse período, com o empreendimento consolidado e estrutura montada para reprodução de sementes, as famílias devolverão as ferramentas para que a Empresa possa dispô-las a outros agricultores.

“A idéia é alcançar sustentabilidade e incentivar democraticamente, dando oportunidade em nível comunitário, com espaço para todos os interessados”, resume Borges.

A partir do ano que vem, sob o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae),  as hortaliças passarão a compor a merenda escolar de Breves, por meio de um contrato com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) que já foi confirmado. A assinatura está prevista para janeiro.

Texto: Aline Miranda - 03/11/2011