Regional do Tapajós

Endereço: Tapajós
CEP: 68738-000
Fone: (93) 3333-2222
E-mail: esreg.tapajos@emater.pa.gov.br


http://www.emater.pa.gov.br/upload/ck/ckfinder/userfiles/files/Projeto_Regionais_Tapajós.pdf

O Regional Tapajós possui extensa área e cerca de 3% da população do estado. Compreende  8 unidades administrativas, sendo 7 escritórios locais (Aveiro, Itaituba, Jacareacanga, Novo Progresso, Placas, Rurópolis e Trairão) e um posto avançado (Castelo dos Sonhos).

Assiste mais de 3 mil famílias (entre famílias assentadas de reforma agrária, indígenas, quilombolas e outras). Atende organizações, produtores rurais, pescadores e aquicultores. Elabora Cadastros Ambientais Rurais [CAR’s] em parceria com o MMA e MDSA, diagnostica setores produtivos, notifica beneficiários do PNRA, elabora projetos, propõe crédito rural, participa e coordena festividades no âmbito de alguns municípios, entre outras atividades.

De modo que contribui para o fortalecimento das cadeias produtivas, como a da mandioca, com ações diversas, como as inseridas no Projeto da Farinha Munduruku, em Jacareacanga, em parceria, para indígenas de 21 aldeias da etnia Munduruku, produtores de farinha d’água, goma de tapioca, tucupi e farinha de tapioca, que com recursos do projeto já adquiriram equipamentos para casas de farinha, fizeram capacitações para melhorar a qualidade dos produtos e adquiriram novas técnicas de seleção e plantio de manivas de mandioca.

Para estimular a comercialização a Emater faz parcerias na realização de Feiras e Eventos. Além de orientações técnicas aos agricultores, a Emater, devido à sua capilaridade, organiza a logística, mobiliza e viabiliza transporte dos expositores, orienta sobre apresentação de produtos .

A região concentra grande parte de Unidades de Conservação e de Terras Indígenas do estado, o que teria contribuído, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para grandes áreas de preservação ambiental em comparação com outras regiões paraenses. Tem florestas densas e florestas abertas mistas, além de áreas isoladas com espécies florestais de alto valor econômico como mogno, ipê, freijó, maçaranduba, tatajuba, cedro, goiabão, entre outras espécies.

Em relação às atividades econômicas, na agricultura produz cultivos permanentes (de cacau, banana, café, caju e palmito), e temporários como graníferas e cerealíferas (arroz, milho e soja) associadas à pecuária de animais de grande porte, e cultivos diversificados em unidades de uso simples onde se destacam cultivos diversificados também associados à pecuária.