Com apoio da Emater, 30 famílias produtoras de Bagre recebem recursos do Pronaf

Financiamento se destina ao fomento do manejo de açaizais nativos de baixo impacto nas comunidades de São João, Santo Antônio, Vila Nova, e no assentamento Pai Tiririca

22/10/2021 07h50 - Atualizada em 07/12/2021 21h23
Por Emater Pará


Foto: Divulgação

Trinta famílias agricultoras familiares que se dedicam à cadeia produtiva do açaí, em Bagre, na Ilha do Marajó, foram contempladas com recursos que totalizam R$ 825 mil, oriundos do Programa Nacional de Fortalecimento a Agricultura Familiar (Pronaf), viabilizados pelo Banco da Amazônia mediante projetos de crédito rural elaborados pelos técnicos do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-PA).

Foto: Divulgação

"Esse recurso é muito importante para nós, ribeirinhos, pois melhora, e muito, o nosso trabalho e a nossa produção. E este investimento foi possível com o assessoramento dos técnicos da Emater não só através dos projetos para crédito, como trazendo novas técnicas de manejo para aproveitar melhor nossa área, com mínimo impacto", disse Marinaldo Leite Cordeiro, um dos beneficiados.

Cada contrato é de valor de R$ 27.500,00, na linha Pronaf Floresta. O financiamento se destina ao fomento do manejo de açaizais nativos de baixo impacto nas comunidades de São João, Santo Antônio, Vila Nova, e no assentamento Pai Tiririca.

Foto: Divulgação

"Esses recursos do Pronaf Floresta irão custear a mão-de-obra para fazer o manejo de açaizal nativo, gerando emprego e renda, além da aquisição de ferramentas para realização dos serviços, como equipamentos de proteção, e demais materiais necessários para as atividades da cadeia produtiva", explicou o técnico em Agropecuária da Emater, Marinaldo Lobato, chefe do escritório local em Bagre.

No município, a equipe de ATER assiste trabalhadores rurais, extrativistas, ribeirinhos, pescadores e assentados buscando a sustentabilidade econômica, cultural, social e ambiental. São realizados, por mês, em torno de 35 a 40 atendimentos.


Texto: Paula Portilho (Ascom Emater)