Semana do Meio Ambiente da Emater movimenta municípios do Pará

De soltura de tartarugas a oficina de pintura rupestre: com o apoio de diversas instituições, o evento oferece experiências, imersões e aprendizados

07/06/2024 09h01 - Atualizada em 24/06/2024 22h11
Por Aline Miranda

A III Semana do Meio Ambiente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), que se iniciou na segunda (4) e se estende até esta sexta-feira (7), tem envolvido a população dos 144 municípios paraenses em atividades lúdicas, educacionais e sociais.

 Em parceria com entidades parceiras, como prefeituras e Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Sociobiodiversidade (Ideflor), a programação oferece à sociedade civil experiências diferenciadas, tais quais soltura de tartarugas em São Geraldo do Araguaia, no Carajás; oficina de pintura rupestre em Monte Alegre, no Baixo Amazonas, e caminhada ecológica em Santa Bárbara, na Região Metropolitana de Belém (RMB). 

De acordo com a organização do evento geral, o objetivo ultrapassa a questão de reflorestamento, com distribuição e plantio de mudas, e alcança a transformação de assuntos que muitas vezes se aparentam distantes da realidade das pessoas: debates tais quais mudanças climáticas, lixo urbano e descarbonização, por exemplo, transformam-se em situações concretas de diagnóstico e solução.

Para a coordenadora de operações da  Emater, engenheira ambiental Camila Salim, especialista em Gestão Ambiental e Sustentável na Amazônia e Mestra em Ciências Ambientais, a importância das ações concomitantes refere-se, ainda, a educação ambiental, sobretudo no contexto do Pará como sede da 30ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP30), em 2025.

“Precisamos intensificar a responsabilidade no que tange às práticas ambientais corretas e equilibradas, para mantermos o meio ambiente sadio”, resume. A gestora ressalta que, de acordo com a legislação vigente, tal obrigação não se restringe ao poder público: é de toda a coletividade. 

“Uma das metas da Emater sempre foi fortalecer as comunidades paraenses a produzir de forma sustentável, garantindo um alimento saudável, sem agrotóxicos, e garantindo as áreas de proteção, as áreas de preservação, que as desmatadas sejam reflorestadas, que as reservas legais sejam restauradas. A Emater é o braço principal para executar essas políticas de restauração florestal, por estar nos 144 município”, discorre. 

Texto: Aline Miranda